GoBotMobile
top of page
Buscar
  • Macedo

Quanto custa carregar um carro elétrico em casa ?

Atualizado: 29 de fev.




O Brasil já evoluiu bastante no quesito recarga de carros elétricos, e existem diversas opções de carregadores disponíveis aos proprietários de carros elétricos para realizar a recarga em locais diversos como shopping centers, concessionárias de veículos e lojas especializadas, ou mesmo carregadores rápidos disponíveis para uso do público em geral.


Entretanto, a opção mais cômoda, e certamente mais barata*, é realizar a carga na própria residência (ou condomínio) do usuário de carros elétricos, já que neste caso não há sobrepreço na tarifa de energia, prática comum quando se trata de carregadores em espaços públicos ou semi-públicos.


Mas, afinal, quanto custa carregar um carro elétrico em casa? A resposta, em princípio, é simples - é o preço da energia consumida no processo de recarga.


Mas a dúvida justamente recai sobre este ponto - Qual é a energia consumida no processo de recarga de um carro elétrico?


É muito comum estimar-se a energia consumida pela potência do carregador. Exemplificando: se o usuário possui um carregador de 7kW, e o mesmo fornece energia ao carro durante 8 horas, a energia consumida seria de 7kW x 8h = 56kWh. Considerando-se uma tarifa de 0,9 R$/kWh (média da tarifa no estado de SP com impostos em 2022), o preço total deste "abastecimento" seria de R$ 50,40.


A abordagem acima, apesar de proporcionar uma boa aproximação do custo da recarga, não leva em conta alguns fatores importantes, como os listados abaixo:

  1. Nem sempre a potência do carregador é a potência consumida pelo módulo de carga do carro. Quem "manda" na potência consumida é o carro e não o carregador! Assim, se o seu carro tem um módulo de carga limitado a 3,6kW (caso da maioria dos híbridos em circulação atualmente), não adianta você conectar um carregador de 7kW! O carro vai carregar na potência máxima do seu módulo de carga - neste caso 3,6kW.

  2. O tempo que o carregador fica conectado ao carro não significa que ele estará fornecendo energia em sua potência nominal. O carro irá consumir energia enquanto necessário, até a carga completa da bateria. Logo a quantidade de energia fornecida pelo carregador será determinada pela quantidade de energia "solicitada" pelo carro no processo de recarga.

  3. Já foi-se o tempo que baterias elétricas precisavam ser completamente descarregadas antes de se iniciar uma nova carga. Na maioria das vezes, você não vai recarregar a bateria a partir do Zero tampouco chegar a 100% da carga. Na realidade, o que a maioria dos fabricantes recomendam é que os usuários mantenham o nível da bateria sempre acima de 10% de sua carga e que as recargas sejam feitas até 80% da capacidade da bateria. Isto ajuda a proteger a vida útil da bateria do carro elétrico.

Desta forma, o valor da recarga será proporcinal à quantidade de energia necessária para recarregar a bateria em cada evento de recarga!! Afinal, não é assim que funciona no carro a gasolina? Você paga pela quantidade de litros que coloca no tanque, que por sua vez depende de quanto o tanque está vazio e até quanto você quer enchê-lo. No caso do carro elétrico, é a mesma coisa... só que você provavelmente não vai querer usar aquele bordão padrão: "completa, por favor!"


Para fazer o cálculo da energia consumida, você precisará conhecer um pouco mais sobre as características do seu carro e sua bateria. Por exemplo, um proprietário de carro híbrido plug-in, com bateria de 10kWh, que faça a carga completa todos os dias, irá gastar.... 10kWh de energia diariamente! Essa carga, a R$ 0,9 o kWh, irá custar 9 reais, e ela tipicamente é suficiente para uma autonomia de 30 a 40 km no modo elétrico. Ou seja, o custo é de aproximadamente 25 centavos por km rodado.


Já um carro "full electric", que tenha uma bateria de 55kWh, em uma carga que leve a bateria de 10% a 80% da carga, irá consumir 38,5kWh - aproximadamente 35 reais. Interessante notar que os carros "full electric" tem melhor desempenho no consumo de energia que os híbridos. Assim, o custo por km rodado tende a ser menor.


E você, já fez as contas para entender se vale a pena investir um pouco mais no seu próximo carro e embarcar na era da #mobilidadeeletrica?




*Nota do autor: a afirmação em questão não leva em conta carregadores em que a energia é fornecida em caráter de cortesia. Entendemos que esta modalidade é natural em um mercado onde a eletrificação ainda está em fase inicial, porém com o tempo todos os pontos de recarga de carros elétricos terão algum tipo de cobrança pela energia consumida.



25.744 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page